Hemocentro de Santa Maria precisa de doações

O Hemocentro Regional de Santa Maria está realizando uma forte campanha para manter as doações sanguíneas em atividade. Desde o início da pandemia do Coronavírus, o Hemocentro atendeu ao público somente por agendamentos via telefone, para evitar as aglomerações e manter os protocolos sanitários recomendados pelo Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mas essa época do ano, a procura sempre é baixa e a instituição se mantem em alerta. O tipo sanguíneo O NEGATIVO (O -) é o que mais está em baixa no Hemocentro. Pessoas com os tipos sanguíneos A+, A-, AB+, AB-, B+, B- e O+ também podem realizar doações, basta entrar em contato com Hemocentro pelo telefone (55) 3221-5192 ou 3221-5262, ramal 204 e pedir para agendar um horário.

O Hemocentro funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 14h, sem fechar ao meio-dia. Além disso, no terceiro sábado do mês, a instituição também funciona das 8h ao meio-dia. Após marcar seu horário, você precisa se dirigir até a Alameda Santiago do Chile, 35, no Bairro Nossa Senhora das Dores para fazer a doação. O Banco de Sangue do Hospital de Caridade Doutor Astrogildo de Azevedo parou de fazer coleta e doação de sangue desde março de 2020.

Veja também, nas redes sociais do Hemocentro de Santa Maria quais as etapas de doação: clique aqui.

O Ministério da Saúde realizou um informativo. Saiba quem pode doar sangue para quem:

SITUAÇÃO NO BRASIL

Preocupados com os níveis dos estoques de sangue e de hemoderivados, hemocentros de diferentes regiões do Brasil estão tentando sensibilizar a população para a importância da doação de sangue.

A habitual preocupação com os estoques, principalmente durante o período de festas de fim de ano e férias de verão, este ano foi potencializada pelas mudanças comportamentais impostas pela pandemia da covid-19, que afastou muitos doadores ao longo do ano passado.

O Ministério da Saúde ainda não tem os números consolidados, mas estima que, em 2020, o medo da doença que, no Brasil, matou mais de 197 mil pessoas, pode ter causado uma diminuição da ordem de 15% a 20% no total de doações de sangue em comparação a 2019.

Segundo o Ministério da Saúde, não houve registros de desabastecimento ao longo de 2020. Fato que, segundo representantes de hemocentros, pode ter ocorrido devido à adoção de medidas preventivas, como a suspensão temporária de cirurgias eletivas. Mesmo assim, houve situações em que o ministério precisou acionar o plano nacional de contingência e transferir milhares de bolsas de sangue de unidades da Federação em situação mais folgada para outras onde o nível dos estoques era considerado crítico.

“O principal risco deste cenário seria um possível desabastecimento de sangue e o consequente comprometimento da assistência”, informou o ministério em nota.

O desabastecimento colocaria em risco a vida de pessoas que precisam receber transfusão de sangue ao serem submetidas a tratamentos, cirurgias e procedimentos médicos complexos, ou que tratam os efeitos de anemias crônicas, complicações da dengue, da febre amarela ou de câncer.

Na nota, o ministério também garantiu que está acompanhando a situação nos maiores hemocentros estaduais para, se necessário, adotar as medidas que minimizem “o impacto de eventuais desabastecimentos de sangue”.

PARA DOAR SANGUE  

Para quem quer doar sangue, os requisitos são:  

  • Estar alimentado. Evite alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação de sangue
  • Caso seja após o almoço, aguardar 2 horas
  • Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas
  • Não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação
  • Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já o tiverem feito antes dos 60 anos
  •  A frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para o homem e de três doações de sangue anuais para as mulher
  • O intervalo mínimo entre uma doação de sangue e outra é de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres
  • Apresentar documento oficial de identidade com foto

Impeditivos temporários   

  • Gripe ou febre 
  • Gestantes ou mães que amamentam bebes com menos de 12 meses
  • Até 90 dias após aborto ou parto normal e até 180 dias após cesariana
  •  Tatuagem ou acupuntura nos últimos 12 meses
  • Exposição à situação de risco para HIV (múltiplos parceiros sexuais, ter parceiros usuários de drogas)
  • Herpes labial
  • Quem testou positivo para a Covid-19 não pode doar sangue pelos próximos 30 dias. No caso de pessoas que tiveram contato com alguém infectado pelo coronavírus, a doação pode ser realizada 14 dias após o último contato, se o doador não apresentar nenhum sintoma

Impeditivos definitivos   

  • Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade 
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de Chagas
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis

Fonte: Agência Brasil e Hemocentro de Santa Maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *