Plenária Nacional Virtual da Fasubra encerra nessa terça (15)

As Lives Sindicais trazem para o debate diversos temas de interesse da categoria. Na segunda-feira (14), o Setor de Comunicação da Assufsm conversou com o Coordenador Geral da Fasubra Antônio Alves Neto, mais conhecido como Toninho, sobre os encaminhamentos da segunda Plenária Nacional Virtual da Fasubra Sindical (veja a live na íntegra aqui).

A Plenária começou na última sexta-feira (11), continuou no sábado (12) e está prevista para terminar hoje, terça-feira (15). De acordo com informações da Fasubra participaram 146 delegadas e delegados de 49 entidades de base.

Até o momento, foi aprovada a prorrogação do mandato da Direção e do Conselho Fiscal em razão da pandemia do coronavírus. Também foi adiado por um ano o XXIV CONFASUBRA. O Técnico Administrativo em Educação ressalta que a realização do Congresso será discutida novamente na Plenária prevista para junho de 2021. Porém, será considerada a situação sanitária no país. Caso persista o aumento de casos e mortes por covid-19, o Congresso segue suspenso.

A deliberação central, que compreende as ações de enfrentamento ao Governo Federal, será votada hoje, terça-feira (15). O Coordenador Geral afirma que é necessária a continuidade do calendário e de um plano de lutas para janeiro e fevereiro, pois a Proposta de Emenda a Constituição 186 e a Reforma Administrativa (PEC 32/20) podem ser votadas nesse período nas casas legislativas.

Nesse sentido, a Fasubra segue com as orientações para as entidades de bases organizarem os fóruns estaduais e municipais, fazerem pressão contra as medidas do Governo, participarem de audiências públicas e das campanhas da Federação.

Neto lembra que a campanha da Fasubra contra a Reforma Administrativa continua em conjunto com o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). Além disso, está prevista para votação uma campanha específica da Fasubra para a luta contra a PEC 32/20 e os ataques à educação.

Por fim, Toninho ressalta que o Governo por meio da Portaria 1.030 coloca em perigo a vida de professores (as), de técnico-administrativas (os) e de estudantes. Segundo ele, para lutar contra essa lógica genocida são fundamentais o debate com a população e a pressão nos parlamentares. A Fasubra publicou em seu site uma notícia sobre a Plenária Nacional Virtual, que está disponível aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *