Capacitação e qualificação visam melhorias no SUS

A saúde pública brasileira vive momentos delicados com os poucos investimentos do governo para a melhoria em atendimentos à população. Pensando nisso, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), junto de outros órgãos públicos, estão realizando em todo país, 84 oficinas de qualificação e capacitação para conselheiros, conselheiras municipais e estaduais e lideranças sociais.

O Projeto Formação para o Controle Social no SUS está na segunda edição e durante dois anos (de 2016 até 2018) foi ministrada em todo o território nacional.

Na edição de 2020, Santa Maria foi pioneira em receber conselheiras, conselheiros e entidades que tem envolvimento com o SUS. No Instituto São José, em Santa Maria, em um grupo de 30 pessoas, que ficaram em regime de internato durante três dias, os e as participantes tiveram aulas teórico-práticas com dinâmicas em grupos para o debate sobre a atual situação do SUS.

“Depois desses três dias de vários aprendizados intensos, nós 30 ficamos com o compromisso de multiplicar esse conhecimento. E lá mesmo, nas aulas, fizemos um projeto para poder realizar a multiplicação das capacitações e qualificações das oficinas do SUS”, afirma Milton Maus, Coordenador de Formação Política e Sindical da Assufsm, que participou do programa do Conselho Nacional de Saúde e conversou com a assessoria de comunicação da Assufsm.

A enfermeira aposentada do Ministério da Saúde, Sueli Barrios também falou sobre a importância da existência de oficinas para debate sobre o SUS.

“Estamos assistindo, a cada dia, o desmonte das políticas públicas e das políticas sociais no Brasil, muito especialmente no campo da saúde. E estamos vivendo um dos momentos mais frágeis e de maior risco para o SUS, porque tivemos a EC 95 aprovada em 2016 que congela por 20 anos os recursos para a saúde. Em 2019 tivemos menos 20 bilhões aplicados na saúde. Essas oficinas vêm de encontro a esse cenário para alertar a população que o SUS não está indo muito bem e que nós todos precisamos dar as mãos e lutar por ele”, lamenta Sueli.

Além disso, para que a população conheça como o SUS funciona foi lançado um documentário que retrata os desafios diários, a abrangência do SUS, os problemas e os cuidados que a população tem com os serviços do SUS. A professora aposentada da UFSM e atual presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS) Marian Noal Moro falou sobre como é essencial a defesa do SUS e se mostrou aflita com a falta de investimentos.

“Estamos muito preocupados com o SUS, pelas perdas e cortes que o sistema vem sofrendo. As oficinas servem para que se entenda o que é o SUS e como defendê-lo. O documentário foi lançado em Santa Maria pela grande mobilidade que a cidade tem em defesa do SUS”, reforça Marian.

É necessária união da população brasileira para defender o SUS, defendem os participantes do evento. Ainda mais em um momento delicado em que o Sistema único de Saúde vive. Em razão da pandemia, seguindo as orientações do Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Saúde, as oficinas foram canceladas. O retorno das atividades será informado assim que as condições sanitárias estiverem favoráveis.

Postagens recentes

Geral

14 de agosto –  Dia dos Pais

A Assufsm deseja a todos os Pais, responsáveis, mães solo, tios(as), avós e demais pessoas que realizam esse papel, um dia de muita alegria com

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.