GT Políticas Sociais e Antirracismos da Assufsm debate ações para o Mês da Consciência Negra

A Categoria dos e das Técnico Administrativas em Educação da UFSM esteve reunida virtualmente, junto com a Coordenação da Assufsm, na tarde de terça-feira (19) para debater ações em prol do mês da Consciência Negra, o mês de novembro. Inúmeras foram as sugestões de calendário para a Assufsm integrar nessa luta.

Dentre os pontos debatidos, ficou encaminhado que o sindicato irá participar de calendários já pré-estabelecidos por entidades representativas de negros e negras de Santa Maria, bem como pedir apoio financeiro de entidades educacionais e, também de parlamentares da cidade, para que atividades com artistas e almoços e jantares temáticos possam ser realizadas.

A TAE Débora Marshall sugeriu que, dentre as ações para o mês de novembro, seja realizada uma roda de conversa para os três seguimentos da UFSM: TAEs, estudantes e docentes.

“Precisamos debater sobre o assunto de uma maneira ampla dentro da comunidade acadêmica. Por isso, acabei nomeando a roda de ‘Quantos colegas negros e negras você tem?’. Precisamos nos fazer esses questionamentos”, afirma ela.

A roda de conversa ainda não tem dia e horário para ser realizada, mas logo será definida para ser divulgada em todas as redes sociais da Assufsm. Além disso, também foi conversado sobre a política de cotas para a graduação e pós-graduação.

“Ela (lei de cotas) será revista em 2022, mas achamos que já é importante que o sindicato realize debates e campanhas sobre o assunto”, afirma o Coordenador de Formação Política e Sindical da Assufsm Eloiz Cristino.

A Coordenadora Geral da Assufsm Loiva Chansis também esteve no debate e sugeriu alguns temas para as Lives Sindicais.

“Temos que falar sobre lugar de fala, ancestralidade, lei de cotas na pós-graduação, feminismo e cultura negra e seguirmos com os debates em vários momentos do ano”, alerta ela.

A Coordenadora Jurídica e de Relações de Trabalho da Assufsm, Cerlene Machado, a Tita, reafirma a sugestão de Loiva.

“Esses debates devem ser feitos em vários momentos do ano, além de trazermos convidados, convidadas e convidades negres para diversos outros pontos de pauta”, defende ela.

A categoria presente e a direção da Assufsm também relembraram, com imenso carinho, de vários e várias ancestrais negras TAEs e colaboradoras que fizeram parte da história do sindicato.

Outros temas sugeridos para as Lives Sindicais são: debate sobre o racismo estrutural/institucional, conversa sobre as religiões de matriz africanas, trabalho de mulheres negras e debate sobre as questões de negros, negras e negres LGBTQIA+.

Postagens recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.