Parlamentares destacam os prejuízos da PEC 32 para mulheres, negros e pessoas LGBTQIA+

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil), o conselho consultivo e deputados(as) contrários à PEC 32 se reuniram para debater estratégias de enfrentamento à Reforma Administrativa no Congresso Nacional.

Um dos temas apresentados no encontro foi o prejuízo da PEC 32 para as minorias, como mulheres, negros e pessoas LGBTQIA+.

“É importante levar essa discussão da bancada feminina, entender que é uma proposta que prejudica também as mulheres”, afirma a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

Fábio Felix (PSol-DF), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público e contra a Reforma Administrativa, também destacou a necessidade de trazer o tema das minorias para o debate.

“O fim dos concursos públicos (resultado da PEC 32 e da contratação temporária) prejudicará mulheres, mulheres negras, pessoas LGBTs. Porque as contratações vão se dar pelo padrão normativo. Sem concurso, sem cota e sem ação afirmativa, eles não terão vez. Esse é um elemento importante para levar até os movimentos sociais”, completa.

A PEC 32 está pronta para entrar na pauta de votações no Plenário da Câmara.

Texto e Foto: SERVIR Brasil e Portal da Câmara dos Deputados

Postagens recentes

Geral

14 de agosto –  Dia dos Pais

A Assufsm deseja a todos os Pais, responsáveis, mães solo, tios(as), avós e demais pessoas que realizam esse papel, um dia de muita alegria com

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.