UFSM está entre as 2,4% melhores instituições de ensino do país, segundo IGC

De acordo com os resultados da edição de 2019 do Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), a Universidade Federal de Santa Maria está entre as 2,4% instituições de ensino superior mais bem avaliadas do país, considerando as 2070 instituições que participaram do processo. A UFSM também está entre as 3 melhores universidades do Rio Grande do Sul.

Os resultados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), na sexta-feira (23). Em relação aos dados de anos anteriores, a UFSM apresentou evolução em seu desempenho.

Nesta edição do ranking, a Universidade obteve pontuação de 3,9068 no IGC contínuo, classificando-se na faixa 4 (sendo 5 a máxima possível). O índice é superior ao obtido na avaliação de 2018, quando o IGC contínuo foi de 3,8727.

 

evolução-igc
Imagem: Evolução do IGC Contínuo da UFSM nos últimos 10 anos

 

Paulo Burmann, reitor da UFSM, avalia o crescimento da Instituição no IGC de forma muito positiva.

“Estamos entre as melhores instituições do país em termos de qualidade no ensino e esse é um resultado fantástico! Falta muito pouco para chegarmos no conceito 5, que é o conceito de excelência em qualidade na educação superior. Estamos em um processo crescente, a Universidade vem, ano a ano, melhorando seus índices de forma impressionante”, destaca Burmann

Os resultados obtidos pela UFSM vão ao encontro do Plano de Metas para 2022, integrado ao Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). Estes visam tornar a UFSM uma Universidade de excelência, buscando evoluir da nota 4 para 5 no Índice Geral de Cursos (IGC).

O reitor também enfatiza que esses resultados evidenciam a capacidade da UFSM de atingir os objetivos traçados, bem como ressalta o comprometimento de todos para o processo de qualificação da Instituição.

“Estabelecemos um Plano de Desenvolvimento Institucional e, a partir dele, um Plano de Metas que está totalmente exequível, mesmo diante das adversidades e das dificuldades orçamentárias que a Universidade vem enfrentando. E, ainda assim, no ritmo em que estamos crescendo, certamente essa meta será batida! Esse resultado é fruto do empenho de toda a comunidade universitárias, dos docentes, dos técnicos-administrativos em educação, dos estudantes, dos gestores e da sociedade como um todo, que faz a sua crítica e nos coloca em posição de atenção em relação aos passos que a Universidade precisa dar e como ela precisa responder a esse processo. Hoje, podemos resumir o sentimento como orgulho!  Vamos seguir em frente e vamos em direção ao alcance da meta para 2022 que é o conceito 5 de excelência”, finaliza Burmann.

 

Sobre o IGC

O IGC  abrange indicadores de cursos de graduação e pós-graduação. Nas graduações, é utilizada a média dos conceitos preliminares de curso (CPC) da instituição, que tem como base o desempenho dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), e ainda variáveis como corpo docente, infraestrutura e organização didático-pedagógica.  Assim, sintetiza num único indicador a qualidade média de tudo o que a Instituição oferece.

Os resultados destes indicadores podem ser utilizados de várias formas, tais como:

  • Os estudantes podem conhecer o desempenho das instituições de ensino superior do país, e embasar suas escolhas;
  • Subsidia a definição de políticas públicas e dos processos de autoavaliação institucionais;
  • É utilizado como requisito, critério seletivo ou de distinção na definição da matriz orçamentária da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT).
  • É utilizado como requisito, critério seletivo ou de distinção na autorização para oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu a distância.
  • E também é um requisito, critério seletivo ou de distinção em programas e políticas públicas do Governo Federal.

 

A lista de indicadores de qualidade separados por curso, estão disponíveis para consulta no Sistema e-MEC, no Diário Oficial da União e no Portal do Inep. Já as fórmulas de cálculos destes conceitos e as estatísticas completas, podem ser encontradas aqui.

Texto: UFSM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *