Memórias: Rádio Universidade AM completa 52 anos

Ao longo de 52 anos, a Rádio Universidade 800 AM participou de várias coberturas de vestibulares da Universidade Federal de Santa Maria, divulgação das listas de aprovados, promoveu cultura, divulgou ciência e repassou informação para milhares e milhares de ouvintes. Em funcionamento desde 27 de maio de 1968, a rádio foi instalada pelo Reitor-fundador da UFSM José Mariano da Rocha Filho. Desde então, muito conhecimento foi transmitido pelas ondas do rádio.

Para comemorar essa data, a Assessoria de Comunicação da Assufsm convidou o Jornalista e Doutor em Ciências da Comunicação, Gilson Piber para resgatar memórias da Rádio Universidade 800 AM, na Live Sindical (acesse aqui).

O jornalista tem uma longa história com a UFSM. Ele cursou jornalismo de 1986 a 1989, e desde então, frequenta os laboratórios de rádio da universidade. Segundo ele, o primeiro contato foi nas aulas do Padre Armando Ferrari. Uma visita que proporcionou aplicar as teorias da sala de aula às práticas da rotina de produção radiofônica.

“Os estúdios da Rádio 800 AM foram uma escola para milhares de profissionais que se formaram e estão em formação na UFSM. O programa Radar Esportivo é um dos maiores exemplos de aprendizado dentro da rádio, na UFSM. Temos vários estudantes que passaram por essa programação, que adoram a cobertura jornalística esportiva. É uma satisfação para nós, podermos levar os e as acadêmicas para o campo, narrar jogo, fazer entrevistas e colocar em prática a profissão”, afirma Gilson.

 Ainda conforme o jornalista, o rádio tem se reinventado dia após dia. Antes do advento tecnológico, não existia imagem no rádio, por exemplo. Atualmente, com as lives é possível ver e ouvir a programação da rádio.

“Sou do tempo da fita de rolo. Se ela arrebentava, era necessária muita precisão para fazer o remendo. A fita K7, as cartucheiras, os mini-disques, os CDs e DVDs. Todos esses equipamentos fizeram parte da minha trajetória. Além disso, com esses 30 anos de UFSM pude acompanhar a evolução da rádio podendo ir para o celular, aplicativos, computador. E agora, mesmo com a suspensão das atividades presenciais na UFSM, consigo colocar o programa Editoria 107.9 no ar, de segunda à sexta-feira, gravando tudo por aplicativos e enviando aos operadores técnicos. É uma grande satisfação ver o horário preenchido devido a tecnologia, em tempos de trabalho remoto”, declara Gilson.

 O jornalista ainda recorda de coberturas como a implementação dos campi da UFSM em Frederico Westphalen e Palmeira das Missões, onde a comunidade e as autoridades locais marcaram presença e apoiaram a educação gratuita e de qualidade. Para ele, são coberturas importantes e que agregam conhecimento e experiência aos profissionais de jornalismo.

Ao longo de sua carreira como jornalista, Gilson também viu a importância de combater as chamadas Fake News, as notícias falsas. Conforme ele, essas notícias geram conflitos, discussões e mexem com a vida das pessoas. Por isso é importante se informar em fontes confiáveis e de credibilidade.

 O jornalista alerta que o aprendizado e as experiências são fundamentais durante a caminhada pessoal e profissional. De acordo com ele, conversar, questionar e ouvir diferentes pessoas só tende a enriquecer o conhecimento. O rádio é fundamental para seguir informando a comunidade universitária e santa-mariense sobre o trabalho que a universidade pública e de qualidade realiza na cidade, mesmo com os diversos cortes que vem sofrendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *