10 de agosto: Santa Maria diz Basta aos retrocessos do Governo Temer

Sexta-feira, 10 de agosto ficou conhecida como Dia do Basta, uma data Nacional de Paralisação e Lutas contra todos os ataques à classe trabalhadora e os desmontes aos serviços públicos com mobilizações e manifestações em todo o país. No centro de Santa Maria, a Praça Saldanha Marinho foi mais uma vez palco da mobilização.

Durante a tarde de sexta-feira, os e as manifestantes realizaram uma panfletagem no centro da cidade para dialogar com a população as principais pautas da mobilização. Faixas com os dizeres “Unir a classe trabalhadora para derrotar o golpe” e “Terceirização é a nova escravidão” também fizeram parte do ato.

Com o microfone aberto para intervenções, as e os manifestantes denunciaram a EC 95 e todas as consequências desta no ensino no geral; a lei da terceirização que aumentou o número de desempregados e desempregadas no país; a Reforma da Previdência, projeto que não foi aprovado, mas que precariza a classe trabalhadora, entre outros projetos e medidas que fragiliza a sociedade e o serviço público.

A coordenadora Jurídica e de Relações de Trabalho da Assufsm, Graziela Jacoby, parabenizou a mobilização e a participação da categoria, uma vez que as medidas impopulares do Governo Temer têm refletido num impacto direto a todos e todas, principalmente dentro das universidades. “É preciso a revogação da Emenda Constitucional 95, que congela em até 20 anos os investimentos em áreas como saúde e educação. Ela interfere diretamente na universidade e por isso é importante a sociedade estar atenta, ainda mais em ano eleitoral para cobrar dos seus candidatos esse compromisso de revogar a EC95”, reforça a coordenadora.

Já o coordenador de Esporte, Cultura e Lazer da Assufsm, Fioravante Amaral, considera que a mobilização poderia ter sido maior. Ele destaca que o aumento do desemprego, das privatizações e os cortes em investimento na educação já fazem parte da realidade do país e por isso, enquanto trabalhador do serviço público procura ser participativo nos atos para denunciar todos esses ataques.

O ato da sexta-feira, 10 de agosto, reuniu técnico-administrativos e administrativas em educação, docentes, estudantes, representações sindicais e movimentos sociais.

Postagens recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.