4 a 7 de julho: Trabalhadoras e trabalhadores realizam novas manifestações em Brasília

A FASUBRA Sindical e demais entidades que compõem o FONASEFE (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais) realizaram diversos atos nesta semana contra os cortes no orçamento da Educação, pela recomposição salarial, pela negociação coletiva, contra as privatizações das estatais e pela imediata abertura dos trabalhos da CPI do MEC. As manifestações foram realizadas na Câmara, no Senado e no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

A Jornada de Lutas contou com pressão aos parlamentares que foi realizada na saída dos estados e na recepção no Aeroporto de Brasília na segunda (4/7) e na terça-feira (5/7). A FASUBRA Sindical repudia a ação da PM na terça-feira no Aeroporto de Brasília, já que o ato foi pacífico e, mesmo assim, os policiais dispararam gás de pimenta e deram empurrões para dispersar os manifestantes em uma atitude covarde.

Na terça (5/7) e na quarta-feira (6/7) foram realizados protestos em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados e também trabalho parlamentar com a entrega de manifestos na Câmara e no Senado. Um dos documentos foi pedindo a imediata instalação da CPI do MEC (https://bit.ly/3NODHcC) e o outro foi uma carta aberta (https://bit.ly/3NNiZcY) pela aprovação da PEC 96/2019, que proíbe os cortes no orçamento da Educação, na CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania). O trabalho rendeu frutos e a PEC 96/19 teve sua admissibilidade foi aprovada. A CPI do MEC também foi instaurada com a leitura do requerimento pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG).

Manifestação pelo início imediato dos trabalhos da CPI do MEC

Já na quinta-feira (7/7), a classe trabalhadora se reuniu em frente ao Senado Federal pedindo o início imediato dos trabalhos da CPI do MEC e não depois das eleições, como está previsto. “O ato de hoje é muito importante para o processo de luta da Educação. O presidente do Senado anuncia e faz a leitura, mas não quer instalar a CPI porque sabe que se instalar a CPI nós vamos pegar não só o ex-ministro Milton Ribeiro, mas o presidente desse país, que é o chefe dessa quadrilha”, destacou o coordenador-geral Toninho Alves. Veja a fala na íntegra: https://fb.watch/e89GCARmPg/.

A Direção Nacional da FASUBRA se reuniu nesta sexta-feira (8/7) com as entidades que compõem o FONASEFE para debater os próximos passos da mobilização, visando o orçamento da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2023 que será votada antes do recesso. Essa é uma ação importante para garantir verbas para o reajuste de 2023. Nesse sentido, é necessário manter a pressão nos parlamentares em Brasília e, em especial nos estados, onde já se encontram em campanha.

Texto e Fotos: FASUBRA

Postagens recentes

Geral

14 de agosto –  Dia dos Pais

A Assufsm deseja a todos os Pais, responsáveis, mães solo, tios(as), avós e demais pessoas que realizam esse papel, um dia de muita alegria com

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.