ALERTA: Golpes envolvendo pagamento de precatórios e RPVs preocupam autoridades

Uma preocupante onda de golpes virtuais tem afetado credores de Precatórios e Requisições de Pequeno Valor (RPVs) em todo o país. Denúncias de fraudes por telefone e mensagens no WhatsApp estão se tornando frequentes, com criminosos entrando em contato com beneficiários de precatórios ou RPVs, apresentando-se como advogados ou representantes de escritórios de advocacia. Os golpistas solicitam o pagamento antecipado de valores para a liberação desses recursos, justificando a necessidade de cobrir honorários ou custas processuais.

Esses estelionatários têm atuado em escala nacional, com relatos de vítimas em todos os tribunais regionais federais do país.

Diante desse cenário, é fundamental que aqueles que aguardam o recebimento desses valores estejam atentos para evitar prejuízos. Recomenda-se não fornecer informações pessoais nem realizar qualquer tipo de pagamento ao receber mensagens suspeitas pelo WhatsApp ou ligações telefônicas. Além disso, é importante não clicar em links desconhecidos enviados pelos golpistas. A orientação é buscar diretamente seus advogados para obter esclarecimentos adicionais.

O Poder Judiciário tem enfatizado que essa prática é falsa, deixando claro que não é exigido que os cidadãos realizem depósitos antecipados ou pagamentos para a liberação de precatórios e RPVs nos processos da Justiça Federal.

É crucial que os credores redobrem a atenção, pois os golpistas utilizam nomes reais de advogados, números de inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), escritórios de advocacia legítimos, números de processos válidos e valores corretos para enganar as vítimas e obter dinheiro.

A escalada dessas fraudes e as medidas adotadas por Wagner Advogados Associados

O escritório Wagner Advogados Associados, com unidades em Brasília, Macapá, Porto Alegre, Recife e Santa Maria/RS, tem recebido denúncias de seus clientes sobre tentativas desses golpes virtuais.

Os estelionatários estão utilizando a marca do escritório e fotos de membros da equipe nas redes sociais, porém, estão utilizando números de telefone que não pertencem à central de atendimento do escritório. Essa situação foge completamente ao controle da empresa, e em todos os casos estão sendo registrados boletins de ocorrência junto às autoridades de segurança, além de denúncias serem feitas às plataformas de mensagens.

Reforçamos o alerta: nunca solicitamos pagamento por meio do WhatsApp para a liberação de valores relacionados a processos judiciais. Para proteger-se contra a ação de golpistas, salve em sua agenda o telefone de nossa central nacional de atendimento: (61) 3226-6937.

Texto: Wagner Advogados Associados

Postagens recentes

Geral

CNSC avalia cenários

Na quinta-feira, 23 de maio, aconteceu a reunião da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC), na sede da FASUBRA. Em resposta ao encaminhamento do

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *