Assembleia temática debate PGD na UFSM e encaminha ações para Plenária da FASUBRA

Na manhã do dia 28 de fevereiro, aconteceu, no Auditório do Prédio 74C, uma Assembleia Temática para debater sobre o Plano de Gestão e Desempenho (PGD), na UFSM. Estiveram presentes a Coordenação da Assufsm com a Coordenadora Geral Loiva Chansis, as Coordenadoras de Secretaria Sonia Molinari e Vanessa Kunz, os Coordenadores Financeiros e Patrimoniais Eleutério Jost e Elton Rogério de Quadros, o Escadinha, a Coordenadora Jurídica e de Relações de Trabalho Cerlene Machado, a Tita e o Coordenador de Formação Política e Sindical Eloiz Cristino.

Além disso, Técnico Administrativos e Administrativas em Educação da UFSM também estiveram presentes e puderam debater, tirar dúvidas e analisar de maneira mais crítica o PGD, suas consequências, competências, questões jurídicas, vantagens e desvantagens.

Ao longo da Assembleia, foram apresentados o PGD, proposto pelo Governo Federal e o Sistema de Planejamento e Gestão de Desempenho, o SPGD, contraproposta realizada pela FASUBRA (veja aqui), para que se possa abarcar questões específicas dos e das Técnico Administrativas em Educação.

Uma grande dúvida que surgiu ao longo do debate foi em relação ao PCCTAE, que é o Plano de Carreira dos Cargos Técnico Administrativos(as) em Educação. O PCCTAE deverá ser adequado dentro do PGD para que contemple os TAEs e, por isso, não será extinto.

Outros fortes debates se deram em relação a jornada de trabalho das mulheres, as quais muitas das vezes realizam a tripla jornada, a aquisição de equipamentos e pagamentos de contas (como internet e luz) para o teletrabalho, a diferença de PGD online e presencial (o teletrabalho é uma das modalidades do PGD), a questão de bater metas durante o PGD e a pactuação coletiva (termo pertinente para o funcionalismo público). Além disso, a mesa que coordenou a Assembleia também frisou sobre a escolha para o PGD: ela é individual.

“Nós como sindicato, temos o dever de colocar para todos e todas aqui da UFSM as questões que permeiam a escolha para o PGD. Isso envolve dizer os riscos também. Mas quem decide se quer aderir ou não será o servidor, a servidora. Nós também pedimos que a gestão da UFSM realize um plano piloto, para que possamos vivenciar as realidades e que possamos decidir o que é melhor para nós”, afirma a Coordenadora Geral Loiva Chansis.

O Coordenador de Formação Política e Sindical da Assufsm Eloiz Cristino também conversou com o Setor de Comunicação do Sindicato e pode avaliar a Assembleia:

“Foi uma Assembleia que teve uma boa participação, com a apresentação de expectativas, ansiedades e dúvidas de quem aqui esteve. Nós mostramos também a alternativa realizada pela nossa federação que contempla os pressupostos da nossa carreira (PCCTAE). Essa alternativa é para que, principalmente, as instituições federais de ensino respeitem a autonomia e a democracia e considerem o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), tendo em vista que o nosso fazer é coletivo e que cada pessoa seja representada dentro dos setores”, finaliza Eloiz.

O encaminhamento tirado pela Assembleia é de a base da Assufsm concorda com o SPGD e com a Minuta enviados pela FASUBRA e também pede que a federação se empenhe para aprimorar a carreira. Por fim, as ansiedades, dúvidas e expectativas colocadas em pauta ao longo da Assembleia também serão levadas para a Plenária da FASUBRA, que acontecerá nos dias 10 e 11 de março, em Brasília.

TAE, no dia 3 de março, a Assufsm promoverá uma Assembleia Geral para retirar delegados e delegadas para ir na Plenária, participe!!

Veja as fotos dessa Assembleia, aqui.

Postagens recentes

Geral

CNG em ação: 1 mês de GREVE!

Na tarde desta quinta-feira, 11 de abril, aconteceu mais uma reunião do Comando Nacional de Greve (CNG). Foi lembrado que a greve da FASUBRA completou

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *