Transmissão do cargo de reitor, posse da vice-reitora e equipe de gestão da UFSM ocorreram de maneira híbrida

A solenidade de transmissão do cargo de reitor da UFSM para o professor Luciano Schuch e a posse da professora Martha Bohrer Adaime como vice-reitora e da equipe de gestão da Universidade pelos próximos quatro anos ocorreu na manhã de sábado (8), no prédio 9F do Campus Sede, em Camobi. Schuch já havia sido empossado pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, em cerimônia virtual realizada na última quarta (5), após a publicação do Decreto Presidencial de nomeação do reitor da UFSM no Diário Oficial da União.

Em uma solenidade presencial restrita e transmitida pelo canal da UFSM no YouTube, Rádio Universidade e UniFM, a transmissão do cargo de reitor foi simbolizada pela transferência do colar reitoral do professor Paulo Afonso Burmann para Schuch, procedida pelo chefe de Gabinete, professor Eduardo Rizzatti. Após, Schuch deu posse à vice-reitora, a professora Martha Adaime.

Na sequência, foram reconduzidos aos respectivos cargos os pró-reitores de Administração, administrador José Carlos Segalla; de Extensão, professor Flavi Ferreira Lisboa Filho; e de Graduação, professor Jerônimo Siqueira Tybusch. Por fim, tomaram posse e assinaram os termos os pró-reitores de Assuntos Estudantis, professora Gisele Martins Guimarães; de Infraestrutura, professor Mauri Leodir Löebler; de Gestão de Pessoas, professor Daniel Arruda Coronel; de Planejamento, professor Rafael Lazzari; e de Pós-Graduação e Pesquisa, professora Cristina Wayne Nogueira.

Entidades Representativas

A Assufsm esteve representada pelo seu Coordenador de Formação Política e Sindical Eloiz Cristino. Em entrevista para o Setor de Comunicação da Assufsm, ele afirma que a Cerimônia de Posse cumpriu todos os protocolos sanitários e que alguns discursos chamaram atenção dos presentes, como o do antigo reitor Paulo Burmann, do atual reitor Luciano Schuch e da professora e vice-reitora Martha Adaime.

“O discurso de Burmann foi um tanto quanto contraditório, pois ele alega que sua gestão foi participativa e democrática e nós sabemos das dificuldades que tivemos em dialogar com a gestão de Burmann. O professor Schuch agradeceu partidos e deputados que estão ao lado do atual governo e se quer agradeceu as entidades representativas da Universidade que lutaram para que o reitor eleito fosse o reitor empossado. Já a vice-reitora Martha chamou a atenção para ser a primeira mulher em cargo de de reitoria na nossa UFSM e ressaltou a importância da presença da mulher dentro de cargos do primeiro escalão da Universidade, com 50% de mulheres na equipe da nova gestão”, afirma Eloiz.

Ainda de acordo com ele, as entidades de luta terão desafios à serem enfrentados durante a gestão de Schuch, visto o apoio demonstrado para com o atual governo de Jair Bolsonaro.

O representante do Diretório Central dos e das Estudantes Luiz Bonetti também conversou com o Setor de Comunicação da Assufsm e reforça sobre o apoio e presença de personalidades de direita durante a Cerimônia de Posse da nova gestão 2022-2025 da UFSM.

“A gente percebeu, durante a passagem de cargo, várias presenças de lideranças bolsonaristas. Essas presenças simbolizam a realidade de algo que já se vinha percebendo, e o que fica para nós é isso, eles estão querendo disputar a nossa universidade. Nós vamos ter muitos desafios ao longo dessa gestão, para defender a Universidade da maneira a qual acreditemos que ela deva ser, pública, gratuita e de qualidade, que atenda aos interesses do povo, e produza ciência voltada para os interesses da população e não da iniciativa privada”, defende Bonetti.

Para ele, a posse da nova gestão traz impacto positivo, de que a luta vale a pena.

“Se hoje temos a nomeação do Luciano, se deve pela luta das categorias e entidades que se colocaram em prontidão para fazer com que a democracia universitária prevalecesse, por mais atacada que ela esteja sendo frente ao Governo Federal”, afirma ele.

“Estamos mudando esta realidade. Somos, nesta gestão, 50% de mulheres”

Primeira mulher a ocupar um cargo na Reitoria da UFSM, Martha fez referência, em seu pronunciamento, à participação de destaque das mulheres no dia a dia da Instituição. “Apesar dos 61 anos da UFSM e de sermos a 10ª universidade do mundo que mais produz ciência pelas mãos de mulheres, ainda não havíamos chegado a um cargo da alta administração, e não foi por falta de esforço”, disse, saudando gestoras que ocuparam seus espaços pregressamente.

“Boas gestoras precisam aproveitar oportunidades, enfrentar o machismo estrutural que, espero, a cada dia perde forças”, acrescentou, citando a professora Cristina Nogueira, que integrou, com Martha e Schuch, a lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação. Ao assumir a Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, Cristina ajuda a fazer história.

“Estamos mudando esta realidade. Somos, nesta gestão, 50% de mulheres. Não somos melhores, somos igualmente capazes, e tenho convicção de que podemos contribuir muito para uma gestão compartilhada”, afirmou Martha.

Em sua fala, Martha agradeceu à família, aos colegas, aos mais de cinco mil alunos que teve na UFSM em 32 anos e aos demais membros da lista tríplice, Cristina e Schuch, pela parceria sólida na construção do projeto que se estenderá pelos próximos anos.

Também destacou diretrizes que a nova gestão pretende seguir.

“Uma nova jornada inicia-se agora. Reafirmamos nosso compromisso com o desenvolvimento institucional na busca de inovação tecnológica, na inclusão, acesso e permanência, do fortalecimento da nossa relação com a comunidade, para que nossa Universidade, que é socialmente referenciada, cumpra sua missão de instituição pública extremamente qualificada. Temos consciência que, além de prospectar novas ações, devemos facilitar ações dos nossos atores, docentes, técnico-administrativos em educação e estudantes, cujo papel é fundamental”, disse.

“Vivemos uma crise sanitária, econômica, moral e ética. Neste sentido, nossa comunidade acadêmica tem o dever e a necessidade de contribuir com mudanças de realidades. Para isso, devemos formar cidadãos éticos e técnicos, capazes e prontos para atuar nas principais demandas da sociedade. O ensino, pesquisa e extensão são grandes ferramentas para a mudança. Entretanto, temos que formar também para o respeito às diferenças e para a democracia. Somente desta forma contribuiremos para ter uma nação forte e pujante, sonho de cada um, de todos nós, brasileiros”, finalizou a vice-reitora.

“Nestes oito anos portas se abriram, diferenças foram reduzidas”

Em seu discurso de despedida da Reitoria, marcado pela emoção, Burmann fez um agradecimento especial pela “parceria e compromisso institucional marcantes” tanto de Schuch, que foi vice-reitor na gestão anterior, e de Martha, que foi pró-reitora de Planejamento, de Graduação e, mais recentemente, chefe de Gabinete. Também agradeceu à equipe de trabalho, “pelo empenho olhar e cuidado com as coisas da Universidade”, à comunidade acadêmica, à família. Recordando de sua trajetória na UFSM, desde quando, em 1995, retornando do doutorado, iniciou como coordenador substituto do curso de Odontologia, até as duas gestões frente à Reitoria, Burmann salientou que o projeto que segue agora, com Schuch e Martha, continua fundamentado nos mesmos valores de suas gestões, visando a uma Universidade de excelência, democrática, inclusiva, com respeito às diferenças, sem sectarismos.

Burmann fez um grande apanhado de desafios, conquistas e inovações durante seus oito anos na gestão, apresentando dados e informações constantes no Relatório de Gestão. Citou, por exemplo, projetos estratégicos em tecnologia, em desenvolvimento regional, iniciativas exitosas de internacionalização, entre outros. Fez referência aos diversos rankings nos quais a UFSM vem se destacando positivamente, à projeção no cenário nacional e ao trabalho intenso para reinserir a Universidade nos processos políticos de desenvolvimento econômico e social. Enfatizou a importância do trabalho do Husm e ressaltou que a UFSM – que, aos 61 anos, já formou mais de 180 mil profissionais – precisa continuar sendo pública, gratuita e de qualidade.

“Uma Universidade de excelência e ao mesmo tempo humana é nosso grande desafio”

“O senhor será nosso reitor”. A profecia do então chefe de Departamento, em 2009, ao apertar a mão do professor recém-concursado do Centro de Tecnologia foi lembrada no discurso de Schuch, para quem a conquista não é obra do destino, mas resultado de trabalho e dedicação. Ele agradeceu à família, inclusive ao avô e ao pai, que também trabalharam como gestores na UFSM, e aos colegas que confiaram em sua “competência e coração” na curta trajetória na Instituição. Também lembrou de lideranças políticas e empresariais que apoiaram a indicação de seu nome à nomeação, intercedendo junto ao governo federal. E fez menção especial às colegas Martha e Cristina.

“Tenho orgulho de ter duas das mulheres mais competentes da Universidade nesta gestão”, afirmou.

O novo reitor disse que, se o fundador José Mariano da Rocha Filho estivesse vivo, teria muito orgulho do que a UFSM é hoje, com mais de 128 cursos de graduação, 112 de pós-graduação, ensino básico, infantil, um Hospital Universitário que é referência regional, “um exército de mais de 30 mil pessoas lutando pela educação, pelo futuro do nosso país”.

Destacou também que o fato de uma universidade federal do interior do estado ser a 14ª melhor do país, segundo o MEC, é motivo de orgulho. E os planos são ainda maiores, já que a meta, para este ano, é atingir o conceito 5 do MEC.

“Isto é fruto do trabalho de todos, de cada um de vocês. Tenho alegria de estar no cargo, mesmo com toda a responsabilidade, com apenas 12 anos de Universidade, com uma equipe extremamente competente, que me dá segurança ao assumir o cargo”, afirmou. “Queremos uma Universidade de excelência, mas humana, de pessoas para pessoas”, acrescentou.

Schuch ressaltou que a UFSM é a prova de que é possível fazer ensino de qualidade, com inclusão social, e ao mesmo tempo empreendedorismo e inovação. Afirmou que um dos desafios é consolidar o Parque de Ciência e Tecnologia, estando mais próximo da sociedade, e ao mesmo tempo manter e ampliar as políticas de assistência estudantil. Segundo ele, a intenção é ter uma Universidade “com menos burocracia, mais ágil, com serviços digitais”, que facilite a jornada tanto dos estudantes quanto dos servidores. “Uma Universidade de excelência e ao mesmo tempo humana é nosso grande desafio”, enfatizou. “Vida longa à UFSM. Que tenhamos uma gestão de muito trabalho, comprometimento e sucesso”, finalizou Schuch.

Por fim, prestigiaram a cerimônia autoridades civis e militares, reitores de instituições de ensino, diretores e vice-diretores de Unidades Universitárias, pró-reitores substitutos, chefes de Departamento, coordenadores de Curso, professores, Técnico Administrativos(as) em Educação, acadêmicos, imprensa e demais convidados. Antes da solenidade, houve apresentação do Quinteto de Sopros da Orquestra Sinfônica de Santa Maria.

A cerimônia seguiu os protocolos de distanciamento e foi exigido dos convidados o uso de máscara PFF2. Os empossados receberam os cumprimentos fora do prédio.

Gestão UFSM 2022-2025

Reitor: Luciano Schuch

Vice-reitora: Martha Bohrer Adaime

Chefe de Gabinete: Eduardo Rizzatti

Pró-reitor de Administração: José Carlos Segalla

Pró-reitor de Assuntos Estudantis: Gisele Martins Guimarães

Pró-reitor de Extensão: Flavi Lisboa Filho

Pró-reitor de Infraestrutura: Mauri Loebler

Pró-reitor de Gestão de Pessoas: Daniel Coronel

Pró-reitor de Graduação: Jerônimo Tybusch

Pró-reitor de Planejamento: Rafael Lazzari

Pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa: Cristina Nogueira

Texto com informações da UFSM
Foto destaque: UFSM
Foto: Eloiz Cristino

Postagens recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.