Assufsm reúne-se com chefias do HUSM, EBSERH e PROGEP para debater demandas do HU

Na manha de quinta-feira (23), a Assufsm se reuniu com as chefias da EBSERH, HUSM e PROGEP para debater sobre as demandas passadas ao sindicato por servidores e servidoras RJUs, em atividade de paralisação, no dia 8 de novembro. Dentre elas:

– O cumprimento pela Reitoria da UFSM em manter os(as) servidores(as) RJU como RJU da UFSM trabalhando no HUSM (portaria 80.398/2016).

– A incorporação dos(as) RJU para o Portal Mentorh da EBSERH sem o conhecimento dos(as) RJU do HUSM e da PROGEP.

– O controle do Ponto Eletrônico do RJU do HUSM pela EBSERH e os problemas gerenciais que estão atrapalhando o desempenho do trabalho dos(as) servidores(as) e os seus direitos.

– Os (as ) Servidores(as) RJU não estão conseguindo abrir processos pelo PEN-SIE para pedidos de licenças de saúde e de estudo (mestrado/ doutorado) e auxílios que são de direito do(a) servidor(a) RJU, estão sendo dificultados pela Gestão da EBSERH.

– Solicitação de aproximação da PROGEP com os (as) servidores(as) RJU do HUSM.

Participaram as Coordenadoras Gerais da Assufsm Natália San Martin e Alessandra Alfaro, o Coordenador Jurídico e de Relações de Trabalho Luciano Klat e a Coordenadora de Assuntos de Aposentadoria e Pensão Maria Lenir Rodrigues.

A Coordenadora Geral Alessandra debateu sobre o não cumprimento, por parte das chefias diretas no HUSM, do plano de recuperação de atividades, estabelecido, em comum acordo, pelo sindicato e a reitoria da UFSM.

“Recebemos reclamações que as chefias não aceitam o plano de recuperação de atividades e pedem que sejam cumpridas as horas, para RJUs que aderem os movimentos paredistas do sindicato”, relata Alessandra.

Já a Coordenadora Geral Natália falou sobre o decreto 80.398/2016 e sobre o ponto eletrônico dentro do HUSM. Além disso, Natália também reforçou sobre o cumprimento do plano de recuperação de atividades por parte das chefias imediatas.

“A universidade tem autonomia para realizar esse acordo e ele deve ser cumprido pelas chefias”, afirma Natália, que também falou sobre casos de adoecimento e assédios que servidores(as) relatam estar passando no hospital.

O Coordenador Jurídico Luciano enfatizou sobre o decreto 80.398/2016, de manter os servidores RJUs trabalhando como RJUs, sem ter cedencia à EBSERH.

Duvidas júridicas e rotinas administrativas da UFSM também foram explanadas, com apontamentos de ações da PROGEP junto do HUSM, orientações de órgãos como a Controladoria Geral da União (CGU) e a padronização dos sistemas de ponto eletrônico dentro dos hospitais escola e universidades brasileiras.

Por fim, encaminhou-se que seja realizado, e lançado pela PROGEP, um documento oficial, com todas as dúvidas apontadas nas últimas reuniões. Além disso, esse documento deverá ser apresentado em reunião ampliada para os e as TAEs do HUSM, no dia 7 de dezembro, às 9h, no Auditório do Gulerp (entrada pela lateral do prédio).

Veja mais fotos, clicando aqui.

TAE, anota na agenda e participa desse debate!

Postagens recentes

Geral

CNSC avalia cenários

Na quinta-feira, 23 de maio, aconteceu a reunião da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC), na sede da FASUBRA. Em resposta ao encaminhamento do

Ler mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *